segunda-feira, 25 de abril de 2011

Depressão - Todos nós podemos passar por isso.



Sofrimento, tristeza profunda, desânimo pela vida, angustia, ansiedade, medo do futuro, sentimento de incapacidade. Todos podemos sentir isso em determinados momentos da vida, porém quando tornam-se incontroláveis e ocupam a maior parte dos seus pensamentos - CUIDADO - A Depressão pode estar a um passo de você.



Há dias em que não queremos sair de casa, o nosso quarto é o nosso refúgio, a luz do sol incomoda, o escuro assusta, nada mais faz sentido e tudo fica cinza. Normal. Até aí ninguém está maluco ou necessitando de remédios tarja preta, apenas estamos passando por momentos ruins, que necessitam de um isolamento, de um período para reflexão. O que não podemos é mergulhar de cabeça nestes sentimentos e esquecer de viver.
Quando passamos por situações estressantes como a perda de um ente muito querido , precisamos de um tempo para trabalhar o luto e seguir em frente.  A perda de um grande amor, traz sofrimento angustia , necessidade de isolamento e de um quarto escuro, só que mais uma vez sair logo da tristeza é imprescindível pois as pessoas instintivamente fogem dos tristes e cabisbaixos. Quem já não ouviu falar: "Você primeiro precisa gostar de você para que os outros também gostem". O Período de luto, mesmo por um "amor vivo" faz parte da recuperação.
Na perda do emprego onde nos entregamos e demos muito de nós, ficamos sem o chão e claro sem dinheiro. Um período de tristeza e isolamento é normal, colocar as ideias em dia é necessário,  reestabelecer o controle rapidamente é a chave. Qual novo empregador irá admitir um funcionário triste e  revoltado com o mundo?

Também é normal se sentir fragilizado após uma situação estressante como um assalto, estupro ou sequestro. Esta tristeza e medo tende a passar depois de um período de duas semanas a seis meses, depois disto a vida vai entrando nos eixos. Só que às vezes a pessoa não consegue reagir e esta tristeza se transforma em depressão, principalmente nas pessoas com predisposição à doença.Sim,  ela pode ser genética. Famílias com históricos de depressão, devem ficar atentas aos primeiros sintomas.

Conheci casos de mulheres com depressão pós parto, que não conseguiram se livrar dos sintomas e se refugiaram em mundos criados por elas onde a entrada de estranhos torna-se impossível, desencadeando aflições muito piores. 
Trabalhando em hospital de alta complexidade, convivi com pessoas que se afastaram meses e até anos do trabalho, por causa da Depressão, tornam-se incapazes, infelizes.

 Após um período de tristeza, a pessoa esmorece e fica “isolada do mundo”. Não sente vontade de reagir, não acha graça em nada, se sente angustiada, sem energia, chora à toa, tem dificuldade para começar uma tarefa, dificuldade em terminar o que começou, persistência de pensamentos negativos e um mal-estar generalizado: indisposição, dores pelo corpo, insônia ou sonolência, alterações no apetite, falta de memória, concentração, vulnerabilidade, fraqueza, taquicardia, dores de cabeça, suores ou outros sintomas físicos que joga a pessoa pra baixo.(www.espacovidaclinica.com.br)



A pessoa com depressão, não vê saída para seus problemas, não consegue enxergar que existe vida além  dos seus maus pensamentos. Nada mais importa, sem ajuda e o fim pode ser muito triste.
 Depressão é doença e tem cura. Em muitos casos é necessário a intervenção de terceiros, pois o mesmo não tem forças para sequer enxergar que necessita de ajuda. Medicação, ajuda terapêutica e um ombro amigo operam milagres.



Não negue este ombro a quem necessita de ajuda, muitos não conseguem se fortalecer sem um ombro amigo, não se esqueça  que não é somente passando a mão na cabeça e dizendo: "Eu te entendo" e sim mostrando que existe vida além depressão. Não é fácil, a luta é árdua, se a pessoa entrou nessa não foi por vontade própria, por decisão "Ficarei Deprimida" e pronto. Situações, pré disposição genética ou não, meio social, enfim são muitas as variáveis possíveis.
 Estudos do Programa de Doenças Afetivas da Universidade Federal de São Paulo atestam que 20% da população brasileira, terá depressão um dia. Em níveis mundiais, as projeções da Organização Mundial da Saúde (OMS), revelam que daqui a 20 anos, a depressão será a segunda doença incapacitante, perdendo apenas, para a isquemia cerebral. (Portal Viva Bem)

Assim como eu, tenho certeza que muitos que lêem isto agora, não querem fazer parte desta estatística. Muitos podem estar envolvidos pela depressão neste momento e procurar ajuda não é vergonha, é lutar pela qualidade de vida, pela felicidade que não é utópica, pode existir, e fazer parte dela pode ser muito bom.


Não se esqueça, momentos tristes e de sofrimento todos temos, já passamos ou ainda iremos passar, precisamos ter consciência de que é passageiro e que assim como tudo o mais em nossa vida a tristeza também passa. Apenas não podemos nos sentar na beira do caminho e esperar que tudo mude de braços cruzados. É hora de arregaçar as mangas e ir a luta.  A felicidade está logo ali, basta você construí-la.


Escrito por Silvia Navarro - Psicóloga

Chamada do Programa sobre Depressão a ser exibido em 25/04/11 no SBT Reporter
video


Nenhum comentário:

Postar um comentário